Remoções de favelas no Rio de Janeiro: Favela do Metrô segue lutando para ficar em seu devido lugar

Depois de seis meses de árdua resistência dos moradores da Favela do Metrô, vizinha ao Maracanã, na zona Norte do Rio de Janeiro, às seguidas tentativas da prefeitura de remoção dos moradores, o gerente municipal Eduardo Paes foi forçado a recuar. Pela primeira vez, a prefeitura aceitou realocar os moradores em um local próximo, no morro da Mangueira. Contudo, a luta dos moradores continua, já que muitos chegaram aos novos apartamentos e não gostaram do que viram: infiltrações, falta d’água, falta de luz e por aí vai. Além disso, comerciantes e moradores antigos da Favela do Metrô se negaram a aceitar os apartamentos.

05-a.jpg (400×300)

No dia 12 de fevereiro, pela terceira vez, equipes da prefeitura foram à Favela do Metrô para remover os moradores. Mas dessa vez, o destino das famílias não era o longínquo bairro de Cosmos, mas sim o tradicional Morro da Mangueira, a menos de 100 metros do Metrô, onde estão sendo construídos dois conjuntos habitacionais do projeto Minha Casa, Minha Vida. Porém, o recuo da prefeitura não representou uma vitória completa para os moradores, como muitos imaginam, já que os apartamentos na Mangueira terão que ser pagos pelos moradores, expulsos de suas casas próprias. No total serão 120 parcelas de 50 reais. Além disso, os moradores que no primeiro dia aceitaram se mudar passaram três dias sem luz e sem água.

Conteúdo exclusivo para assinantes
AND agora tem conteúdo exclusivo para assinantes
Digite nome de usuário e senha para ter acesso a todos os artigos

Visitantes:
16073851
Apoie A Nova Democracia

jeremias-blogDurante seus 9 anos de existência, disponibilizamos todo o conteúdo do jornal A Nova Democracia na página da internet sem qualquer custo aos leitores.

Divulgamos as notícias que a imprensa do imperialismo, da grande burguesia e do latifúndio escondem: revelamos que este sistema podre de exploração e opressão dos povos está em crise, demonstramos com fatos a luta de resistência dos povos, damos voz à autêntica cultura popular, denunciamos os crimes do Estado contra o povo, exaltamos a luta e as realizações das classes trabalhadoras.

Para prosseguirmos e avançarmos com o esse trabalho, pedimos o apoio de nossos leitores para que apoiem efetivamente a imprensa popular e democrática, colaborando materialmente para sua manutenção.

Qualquer quantia, somada ao apoio de outros leitores, significará um grande apoio à luta por desenvolver uma imprensa à serviço da luta do povo brasileiro por uma nova economia, uma nova política, uma nova cultura, enfim, uma Nova Democracia. 

Clique aqui e veja as várias maneiras de fazer sua doação de qualquer valor