Encontre-nos no FacebookTwitterAssista aos videos do YoutubeRSSE-mail

Os professores mexicanos estão em greve há mais de um mês. Eles são contrários a uma lei recém-aprovada que modifica a carreira.

http://www.anovademocracia.com.br/118/17a.jpg
Professores mexicanos estão em greve há mais de um mês.

Os professores estão permanentemente mobilizados em grande parte do país, principalmente na capital, Cidade do México, e em Oaxaca, ao sul, desde 19 de agosto. Em 23 de setembro, marcharam do Monumento da Revolução, onde quase dez mil docentes estão acampados, até a secretaria de governo para exigir a abertura de uma mesa nacional de negociação.

Os protestos, marchas, bloqueios de ruas, ocupação de prédios públicos se espalharam por 25 estados mexicanos, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE).

Para o próximo dois de outubro é esperada uma grande mobilização em todo o país, com protestos na capital e em outras cidades. Os professores estão recebendo o apoio de várias organizações sociais e da população mexicana, principalmente do movimento estudantil.

Entre os dias 18 e 20 de outubro, a CNTE realizou uma greve cívica nacional. A intenção era se contrapor à Lei Geral de Serviço Profissional Docente (LGSPD), que determina que qualquer professor que falte três dias sem justificativa será automaticamente demitido.

Negociação

Supostamente, os dirigentes sindicais fizeram um acordo com o governo, no último 20 de setembro, para o fim da greve e do acampamento na capital mexicana. Os professores deveriam retornar às suas cidades e repor os mais de 25 dias de paralisação. Mas as bases não aceitaram a decisão e convocaram a categoria a radicalizar os protestos, já que não houve avanços significativos nas negociações.

Conteúdo exclusivo para assinantes
    • Editorial - Culpem a si mesmos, caros oportunistas

      O oportunismo reformista eleitoreiro, autodenominado por “esquerda socialista”, ainda não digeriu bem o resultado do primeiro turno da farsa eleitoral. Sobretudo os números de abstenções, votos nulos e brancos, os maiores da história, deixaram as siglas da...

    • Persistir no boicote

      A desordem de junho/julho de 2013 aparece agora como fantasma a apavorar os promotores e participantes da farsa eleitoral. Os que só veem as coisas pela aparência não conseguem enxergar que os apelos desesperados do velho Estado para o povo comparecer às...

    • O maior boicote da história

      Foram 38.797.556 de abstenções, votos nulos ou em branco no 1º turno das eleições presidenciais. Rebelião em alta e eleições em baixa: assim definiu Fausto Arruda em seu artigo na última edição de AND antes do primeiro turno das eleições dos gerentes de turno...

    • Um chamado ao povo da Índia!

      Publicamos trechos da declaração do Comitê Central do Partido Comunista da Índia (Maoísta), por ocasião da passagem dos 10 anos de sua fundação no último dia 21 de setembro de 2014. Romper os grilhões do imperialismo e do feudalismo. Destruir esse sistema...

RJ: Ato no Complexo do Alemão exige o fim da violência do Estado contra o povo
RJ: Ato no Complexo do Alemão exige o fim da violência do Estado contra o povoFlagrante da violência de PMs da UPP contra moradores do Morro da FormigaSP: Protesto exige readmissão de funcionárias da prefeitura demitida a mando da Globo
AND 139
AND agora tem conteúdo exclusivo para assinantes
Digite nome de usuário e senha para ter acesso a todos os artigos

Conheça nossos livros

Nova consciência – século XXI

De Rui Nogueira

Este é um livro questionador. Descerra a cortina sobre o comércio internacional. Interroga o sistema eonômico concentrador de privilégios. Desmistifica a “dominação” da natureza. Prega uma revolução com a arma da idéia.

R$ 35,00 + postagem*