Assanhados choros

Dedicado ao estudo e experimento dentro do universo da música instrumental brasileira, o mineiro Assanhado tem um repertório basicamente de choro, mas aberto a novas experiências, utilizando a bateria, algo não convencional no gênero, em busca de uma sonoridade nova e interessante. Formado por jovens, o grupo apresenta releituras de importantes chorões e composições próprias.

http://anovademocracia.com.br/103/16.jpg

— Começamos basicamente pela influência do trabalho do Marcello Gonçalves e Henrique Cazes, grandes músicos do Rio de Janeiro. Eu e André Milagres, violonista 7 cordas, começamos a estudar uns arranjos de cavaquinho e violão dos dois, o Rodrigo Heringer nos viu passando uma música e entrou no meio tocando bateria. Foi uma espécie de brincadeira que soou muito bem e acabou ficando sério — conta o cavaquinista Lucas Ladeia.

— A partir disso formamos o Assanhado Trio e começamos a ensaiar e fazer arranjos próprios. Nos apresentamos pela primeira vez no início de 2011, no projeto 'Quarta Cultural', dentro do Conservatório de Música da UFMG. Depois fizemos apresentações em vários outros projetos de música instrumental e tocamos em festas e eventos — continua.

— Em 2012 sentimos que precisávamos de um contrabaixo para encaixar nas ideias de arranjo que estávamos tendo. Assim chamamos o Samuel Passos e nos tornamos quarteto. O problema foi o nome, porque gostávamos muito de Assanhado Trio e não achamos legal Assanhado Quarteto. Então optamos seguir somente como Assanhado. Esse nome veio de uma música do Jacob do Bandolim, uma das primeiras que fizemos arranjo — explica.

O propósito do Assanhado agora é, segundo Lucas, que Samuel se encaixe nos arranjos que eles já tinham quando eram ainda um trio.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin