Lutas de Libertação Nacional

Afeganistão: mais crimes do imperialismo

http://www.anovademocracia.com.br/136/19a.jpg
Parentes de vítimas civis observando relatório

No último dia 11 de agosto, a Anistia Internacional (AI), em relatório, denunciou e criticou os assassinatos de afegãos promovidos pelas tropas invasoras do USA no Afeganistão. “Um sistema de justiça militar americano com muitas falhas que permite uma cultura de impunidade”, diz o documento apontando que sequer reparações financeiras às famílias dos mortos foram feitas pelo Estado genocida ianque.

Desde a invasão do país em 2001, sob o pretexto de “combate ao terrorismo”, milhares de afegãos foram assassinados e feridos nas operações genocidas da “Força Internacional de Assistência à Segurança da Otan (Isaf)” encabeçada pelo exército sanguinário do USA.

Segundo nota publicada pela agência France-Presse, o relatório da AI detalha, por exemplo, um bombardeio datado de 2012 nas montanhas da província oriental de Laghman, que atingiu mulheres que recolhiam lenha. Sete mulheres e meninas morreram e outras sete ficaram feridas no ataque.

Ghulam Noor, que nesse bombardeio perdeu a filha Bibi Halimi, de 16 anos, levou os corpos a um centro da Otan depois de ouvir que a coalizão garantia ter matado apenas insurgentes.

Tivemos que mostrar a eles que mulheres haviam morrido — declarou à Anistia Internacional.

A nota da AFP é concluída afirmando que “a Anistia afirma que os aldeões entraram com processos ante o governador provincial, mas que as forças internacionais no Afeganistão não podem ser julgadas pela lei afegã, e que nunca ninguém contatou as famílias para investigar o ataque”.

A resistência aniquila invasores

Em 12 de agosto, a Otan informou que um soldado a serviço do coalizão foi aniquilado durante um ataque no leste do país. Com esta, chega a 51 o número de militares mercenários da Otan aniquilados somente este ano. Desse total, 38 eram ianques.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin