O dia em que o monopólio ‘descobriu’ as torturas da CIA

http://www.anovademocracia.com.br/143/17.jpg

Foi preciso que o USA acusasse o próprio USA para que o monopólio internacional da imprensa burguesa noticiasse o que há muito já se sabia como se fosse uma escandalosa novidade. No último dia 9 de dezembro, o Senado ianque publicou um relatório pormenorizado sobre as práticas de tortura em prisões secretas por parte da agência de espionagem e sabotagem internacional, a CIA, no âmbito da “Guerra Contra o Terror”, e que o “pai” desta guerra, o ex-chefe imperialista, George W. Bush, sabia das atrocidades físicas e psicológicas praticadas mundo afora.

A “novidade” de fato, ou melhor, a diferença entre o relatório do USA acusando o USA e tudo o que já se falou e foi denunciado nesta matéria é que o documento do Comitê de Inteligência do Senado ianque garante, na sua página de número 40, que ao ser informado sobre as torturas da CIA, o que teria acontecido precisamente no dia 8 de abril de 2006, Bush ficou horrorizado com “a imagem de um preso acorrentado ao teto usando uma fralda, obrigado a fazer suas necessidades nela”.

Além de cultivar a fantasia de que em um belo dia o chefe maior do imperialismo mais feroz do mundo abriu uma pasta e foi surpreendido com informações sobre torturas levadas a cabo em nome dos esforços de dominação global movidos pelo USA no pós-11 de setembro — e, pior, que teria se escandalizado com a “notícia” —, o relatório induz à suposição de que prisões secretas e torturas são coisas do passado (na introdução do documento se diz que os presos da CIA “foram” torturados), até que daqui a alguns anos surja um novo relatório dizendo que Obama viu o chão da Casa Branca se abrir sob seus pés ao descobrir que nem só do marketing da “exportação da democracia” se faz um Novo Oriente Médio...

Segundo o relatório do Senado ianque, o chamado “Programa de Detenção e Interrogatório da CIA”, com suas “técnicas de interrogatório agressivas” — torturas — terminou em 2008. E aqui talvez resida a principal função política destas “denúncias”: alimentar a fantasia de que com Obama o imperialismo é mais ameno. E mais: o relatório confirma a morte de uma — apenas uma! — pessoa nas prisões secretas da CIA.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin