94 anos da fundação do P.C.B.

Marco resplandecente da história do proletariado

Nenhum fato teve tanta importância para o destino de nosso país, particularmente para as classes que compõem o povo brasileiro, quanto a fundação do Partido Comunista do Brasil (P.C.B) em 25 de março de 1922. Seu congresso de fundação foi realizado nos dias 25, 26 (no Rio de Janeiro - RJ) e 27 (em Niterói - RJ) de março de 1922 e os nove participantes do congresso representaram 73 comunistas de diferentes pontos do país. Seus fundadores são Astrojildo Pereira (jornalista), Hermogênio da Silva Fernandes (eletricista e ferroviário), Manoel Cendón (Alfaiate), Joaquim Barbosa (alfaiate), Luis Peres (artesão vassoureiro), José Elias da Silva (funcionário público), Abílio de Nequete (barbeiro), Cristiano Cordeiro (funcionário público) e João da Costa Pimenta (tipógrafo).

http://www.anovademocracia.com.br/166/02.jpg
Foto histórica dos fundadores do PCB

Ademais de sua fundação destacam-se marcos monumentais em sua heroica trajetória:

  • O Levante Popular de 1935;
  • A cisão com o PCB revisionista de Prestes e a reconstrução do Partido Comunista do Brasil em 1962;
  • A Ruptura com o revisionismo kruschovista;
  • A Heroica Guerrilha do Araguaia como fruto da definição pelo pensamento Mao Tsetung.

Com a derrota da Guerrilha do Araguaia, o assassinato de seu comandante Maurício Grabois e de dezenas de jovens abnegados militantes comunistas pelas tropas fascistas; o brutal assassinato dos dirigentes Pedro Pomar, Ângelo Arroyo e João Batista Franco Drumond durante uma reunião do Comitê Central em dezembro de 1976, no bairro da Lapa (SP), ademais das prisões e assassinatos de dezenas de quadros revolucionários nas cidades, a esquerda na direção do PCdoB sofrera um golpe definitivo.

 Após o episódio conhecido como “Chacina da Lapa”, a luta por um correto balanço da experiência do Araguaia foi sepultada por mil manobras oportunistas de João Amazonas e sua camarilha revisionista e o PCdoB foi liquidado enquanto partido revolucionário. Sob a continuação da sigla PCdoB, Amazonas criou um novo partido revisionista.

Hoje, as siglas PCdoB e PCB, bem como outras como PCR, PCML, PPS, PSB, etc, isso para não falar do leque de organizações trotskistas que pululam por aí, fundem-se num programa único revisionista e oportunista-eleitoreiro.

Em 2012, o Núcleo de Estudos do Marxismo-leninismo-maoísmo publicou nas páginas do AND uma série de artigos sobre os 90 anos da fundação do PCB, desde seus antecedentes até a luta pela reconstituição do autêntico partido do proletariado em nosso país.

“Os verdadeiros marxistas brasileiros dos dias de hoje, principalmente as novas gerações, devem tirar sérias lições da história heroica da luta pelo desenvolvimento do partido comunista em nosso país. Particularmente retomar o processo de seu ponto mais elevado, iniciado com a Reconstrução de 1962, que chegou até à Guerrilha do Araguaia, elevando no mais alto grau o exemplo imperecível do sacrifício dos heroicos quadros, militantes e massas que lutaram por alçar o partido comunista à direção das amplas massas populares”, destacam os autores da série em sua conclusão.

É com grande satisfação que anunciamos aqui a publicação em brochura desta série de artigos pelo Núcleo de Estudos do Marxismo-leninismo-maoísmo, que será lançada no 25 de março próximo, quando se completam 94 anos da fundação do P.C.B. Em breve esta importante publicação poderá ser adquirida também na redação do AND!

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin