Notas internacionais

1º de Maio rebelde pelo mundo

No Dia do Internacionalismo Proletário, o 1º de Maio, os povos combatentes e suas organizações de luta foram às ruas em todo o planeta em combativas manifestações que desafiaram toda a ordem de exploração vigente. Nos países imperialistas, a juventude criticou as medidas e agressões que seus governos promovem para subjugar povos inteiros, a perseguição aos imigrantes e a crescente precarização das condições de vida no interior destas próprias nações. Nos países dominados pelo imperialismo, coloniais e semicoloniais, os operários, camponeses e a juventude combatente exigiram o fim da rapina, da espoliação, das agressões e colocou em xeque os diversos governos lacaios, meros fantoches dos imperialistas.

http://www.anovademocracia.com.br/169/23a.jpg
Fúria popular transbordou nas ruas de Istambul, Turquia

Mantendo a tradição, o 1º de Maio foi marcado pela combatividade e por violentos confrontos entre os manifestantes e a polícia fascista na Turquia. Ao todo, mais de 24.500 agentes das forças de repressão do velho Estado foram mobilizados para acompanhar os protestos. Durante os enfrentamentos, um homem de 57 anos morreu após ser atropelado por um blindado antimotim da polícia. Grande parte das detenções e dos confrontos ocorreu depois que as massas tentaram furar o bloqueio à praça Taksim, local que foi palco dos grandes levantes de 2013 contra o governo do então primeiro-ministro (hoje “presidente”) Recep Tayyip Erdogan.

No Chile, manifestantes foram às ruas contra a reforma trabalhista da gerente federal Michelle Bachelet. Os carabineros (policiais) usaram canhões d’água e lançaram bombas de gás contra os manifestantes, que responderam com paus, pedras e garrafas. Na capital das Filipinas, Manila, milhares de pessoas enfrentaram as forças de repressão exigindo a manutenção de garantias da previdência social. O gerente federal Benigno Aquino, assim como em anos anteriores, foi ridicularizado com um boneco gigante que segurava um cutelo de “cortador de empregos e de benefícios”. Na Alemanha, organizações populares enfrentaram grupos de extrema-direita.

O 1º de Maio na cidade de Seattle, no estado de Washington, USA, foi marcado por um protesto de jovens que terminou com cinco policiais feridos e pelo menos nove pessoas presas. Os manifestantes exigiram o fim de medidas antitrabalhistas e das perseguições contra imigrantes no país. Em Los Angeles, manifestantes carregaram cartazes e um boneco gigante de Donald Trump segurando um gorro do grupo fascista Ku Klux Klan, em referência às atitudes e declarações extremamente reacionárias do candidato à presidência do país. Em outras cidades ocorreram protestos contra a violência policial, principalmente contra os jovens negros que vivem nos subúrbios das cidades. No coração da maior potência imperialista do mundo, os trabalhadores, cada vez mais, enxergam com clareza a farsa de “democracia” que reprime seu próprio povo e leva o terror aos quatro cantos do mundo.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin