68 anos da Grande Revolução Chinesa

Há 68 anos, em 1º de outubro de 1949, milhões de pessoas se concentraram em Pequim, em frente ao antigo Palácio Imperial, e ouviram o discurso de fundação da República Popular da China pronunciado pelo Presidente Mao Tsetung, que anunciou:  “O povo chinês colocou-se de pé!”. As boas novas foram transmitidas para o mundo por meio da Rádio Pequim e encheu de entusiasmo os comunistas que combatiam (e combatem) o imperialismo e toda a reação mundial.

Mao Tsetung proclama a República Popular da China, 1949
Mao Tsetung proclama a República Popular da China, 1949

Sob a direção de Mao Tsetung, o Partido Comunista da China (PCCh) organizou o Exército Popular de Libertação que, após décadas de duros e gloriosos combates, varreu a semifeudalidade e o capitalismo burocrático vigentes no país, culminando a Revolução de Nova Democracia e dando início a nova fase da Revolução, a da construção socialista. Os camponeses e operários derrubavam a opressão a que eram submetidos e anunciavam para o proletariado internacional a proclamação da Nova China.

Foi por meio da Guerra Popular Prolongada, sustentada pela Frente Única Revolucionária e dirigida pelo proletariado, por meio de seu Partido Comunista, que o povo chinês começou a edificar o Poder de Nova Democracia. A ditadura conjunta das classes revolucionárias inicialmente foi exercida nas áreas libertadas do país e culminada com a tomada do Poder em todo o território nacional e a proclamação da República Popular, em 1949, passando à construção e revolução socialistas.

As massas do povo chinês, durante 27 anos, alcançaram êxitos extraordinários na construção do socialismo, passando pela Grande Revolução Cultural Proletária (GRCP), o maior movimento revolucionário de massas da história. Foi com a morte do Presidente Mao Tsetung, em 1976, que os revisionistas (sob a liderança de Teng Siaoping) deram o golpe e tomaram de assalto a direção do PCCh, dando início à restauração do capitalismo. no país.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin