Talibã retoma capital estratégica

Combatentes da Resistência Nacional afegã – vinculados ao Emirado Islâmico do Afeganistão, também conhecido como Talibã – realizaram múltiplas ofensivas em diferentes regiões do país no mês de agosto. A principal ação foi a retomada da cidade Ghazni, capital da província de mesmo nome.

A retomada ocorreu na noite do dia 10 de agosto. Unidades do Talibã lançaram ataques coordenados e assaltaram a capital da província. A cidade é estratégica para o desenvolvimento da guerra de resistência, pois corta a ligação entre a capital do país, Kabul, com outras regiões. Edifícios administrativos e bases policiais foram tomadas no centro da cidade. O regime lacaio e as forças ianques reconheceram o assalto na região.

Durante o assalto, um helicóptero Mi-17 foi derrubado pelos combatentes da Resistência Nacional, aniquilando ao menos 20 combatentes lacaios do imperialismo ianque. Durante os combates, outros soldados títeres também foram abatidos. Segundo estimativas da Resistência Nacional, ao menos 300 soldados e agentes do regime colonial foram aniquilados ou feridos. Os talibãs libertaram ainda mais de 350 presos políticos e prisioneiros de guerra que estavam detidos.

Após tomar a cidade, unidades talibãs ainda interceptaram uma coluna militar e frustraram uma tentativa de envio de reforço à região. Os combatentes destruíram, nesta interceptação, ao menos 12 tanques e aniquilaram dezenas de soldados lacaios, na província de Wardak.

A Força Aérea ianque realiza desde o dia 11/08 intensos bombardeios sobre a cidade buscando esmagar a resistência das massas afegãs, sem nenhum êxito.

Assalto à base militar

Combatentes do Talibã invadiram, como parte dessas múltiplas ofensivas, uma grande base militar do Exército colonial afegão, no distrito de Ghormach, província de Faryab, no dia 12/08. Foram aniquilados ao menos dez soldados e outros 15 foram feridos. Os talibãs capturaram ainda tanques de guerra e munições na base do Exército.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin