Em apenas uma semana, Talibã toma dez enclaves no Afeganistão

O Emirado Islâmico do Afeganistão (Talibã) retomou, em uma semana do mês de agosto, cerca de dez enclaves militares em pelo menos seis distritos diferentes do Afeganistão. As ações dão prosseguimento à ofensiva de primavera – a Operação Al-Fath (a “Vitória”) – em curso contra a invasão ianque no país.

Banco de dados AND
Avanços dos talibãs põem em risco ocupação colonial ianque
Avanços dos talibãs põem em risco ocupação colonial ianque

Em sua maioria, foram invadidos e capturados postos que estavam sob o controle de grupos de milícias que atuam no país, contratados pelo próprio governo do USA, como é o caso da famosa empresa Academi, anteriormente chamada de Blackwater, mas que mudou de nome após escândalos envolvendo o assassinato de civis por seus mercenários no Iraque. 

No dia 2 de agosto, os talibãs deram início a diversos assaltos no distrito de Charchino, na província de Uruzgan, que ainda não se encerraram. Até  o momento, foram retomados quatro centros militares chaves do governo fantoche afegão, submisso à ocupação colonial ianque no país.

Já na madrugada do dia 3 de agosto, foram conquistados dois postos de controle no distrito de Nawa, localizado na região de Kala Ragh, que estavam sob o comando de milícias, e um posto no distrito de Chora, antes dominado por soldados afegãos pró-USA. No total, foram eliminados 20 soldados e mercenários, incluindo um comandante. Confiscou-se, no total, sete rifles, uma metralhadora PK, um lançador de granadas e um rádio, dentre outros equipamentos.

No distrito de Qadris, a estação militar de Basbayano, que estava sob o comando de um grupo paramilitar também foi retomada, resultando na morte de dez mercenários pró-USA. O resto deles fugiu durante os ataques dos talibãs, deixando o prédio e as armas para trás.

O distrito de Panjwaie, localizado na província de Kandahar, sediou uma batalha durante a noite que durou cerca de duas horas, na qual os talibãs conquistaram vários postos militares e um posto de verificação de trabalhadores, na área de Talkan. Kandahar é um enclave particularmente complicado, de grandes extensões e com uma longa faixa de fronteira com o Paquistão, onde os ianques exercem grande domínio territorial e político. No fim de 2018, o Talibã derrubou o general Abdul Razeq, que comandava o controle bélico de Kandahar e recebia ordens diretamente de Scott Miller, o comandante das tropas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, maior representação ianque em território afegão.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin