SP: Ato exige punição aos culpados pela Chacina do Jacarezinho

Centenas de pessoas foram as ruas de São Paulo para protestar contra a Chacina do Jacarezinho e o genocídio contra o povo preto e pobre das favelas. Foto: Saulo Dias

No dia 8 de maio, centenas de pessoas foram até a avenida Paulista, no Centro de São Paulo, para expressar total repúdio à operação genocida da Polícia Civil que deixou 28 pessoas mortas na favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro, no dia 6 de maio.

Os manifestantes se concentraram em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp) por volta das 17h. Posteriormente, o protesto seguiu para a Praça do Ciclista e fechou uma das faixas da Avenida Paulista.

Faixa denuncia alto número de mortes durante operação de guerra da Polícia. Foto: Fábio Vieira

O ato foi organizado pela Coalizão Negra por Direitos, que reúne mais de 200 organizações do Movimento Negro, e exigiu atráves de faixas, cartazes e palavras de ordem a reparação às famílias das vítimas, a responsabilização das forças policiais além de um plano de redução da violência e letalidade policial. A organização também lançou um manifesto na internet, no qual afirmou: “vivemos em um país no qual amanhã poderemos estar mortos. Seja pelo Coronavírus, seja pela fome, seja pela bala, o projeto político e histórico de genocídio negro avança no Brasil de uma forma sem limites e sem possibilidade concreta de sobrevivência do povo negro”.

Durante o ato, os manifestantes levaram dezenas de faixas e cartazes criticando o presidente fascista Bolsonaro, os generais, o governo do Rio de Janeiro e as polícias Civil e Militar. Os manifestantes também exigiram direitos, empregos, salários e vacinação.

Faixa contra o presidente fascista e exigindo direitos básicos para o povo. Foto: Reprodução

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: com[email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin