PE: Ato é realizado contra o genocídio do povo preto e pobre

Faixa levada durante o ato exclamava: "Contra o Genocídio, Rebelar-se é justo!". Foto: Tom Cabral.

No dia 17 de maio, a Articulação Negra de Pernambuco convocou um ato no centro do Recife com o objetivo de denunciar o genocídio perpetuado contra o povo pobre e preto, rechaçando a chacina que ocorreu na favela de Jacarezinho feito pela Polícia Civil do Rio de Janeiro. O ato contou com a participação de centenas de pessoas que se encontram revoltadas com todo o regime de fome e de morte do governo militar genocida de Bolsonaro. 

Trabalhadores e estudantes realizaram manifestação contra o genocídio do povo preto e pobre. Foto: Banco de Dados AND

Na Praça do Derby os manifestantes realizaram suas intervenções, onde foi denunciado não só  o último massacre perpetuado pelo velho Estado, mas também todo o quadro de fome, morte e miséria resultado do genocídio planejado de Bolsonaro e dos Generais junto a crise do capitalismo burocrático. Foi relembrado no ato a heroica resistência do povo brasileiro ao longo da sua história, enfatizando a importância da luta empreendida por Zumbi dos Palmares e dos Quilombos como modelo exemplar de como é possível resistir à impressão. Ativistas do coletivo Mangue Vermelho (MV) em fala denunciaram as sucessivas tentativas de massacre a Liga dos Camponeses Pobres (LCP) de Rondônia denunciando que os militares em conluio com o velho Estado promovem uma verdadeira matança contra o povo do campo e da cidade. Enfatizando que apenas a organização popular combativa é que vai garantir o poder nas mãos do povo brasileiro.

Após as intervenções, os manifestantes marcharam em direção a avenida Agamenon Magalhães no Recife com o objetivo de bloqueá-la, onde os manifestantes ergueram faixas com os dizeres: Contra o genocídio! Rebelar-se é justo!; Nem bala, nem fome, nem Covid-19, o povo negro quer viver! A PM tentou conter a manifestação desejando que o povo se retirasse da avenida, mas os manifestantes permaneceram no local de forma combativa, gritando a plenos pulmões. A multidão enfurecida e de punhos cerrados gritavam palavras de ordem como: Polícia fascista! Estado terrorista!; e outros dizeres contra o governo militar genocida de Bolsonaro, também relembrando todos aqueles que foram assassinados covardemente pelos militares. 

Faixa levada ao ato pelo movimento Mangue Vermelho. Foto: Marlon Diego.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin