Colômbia: Povo vinga assassinato de camponês pela polícia ateando fogo à prefeitura

No dia 4 de agosto, dia em que uma comunidade camponesa de Cajibío, Cauca (Colômbia) realizava o enterro do jovem Huver de 23 anos, dois dias após ele ter sido assassinado pela polícia, os camponeses, cansados da repressão do velho Estado e lutando pelo seu sagrado direito à terra, incendiaram a prefeitura de Cajibío e atacaram a delegacia de polícia.

No dia 02/08, o jovem camponês Huver Samir Camayo foi morto pela polícia no município, quando passava pela área onde a polícia tentava despejar famílias de camponeses que lutavam pela recuperação das terras do latifúndio de El Retiro. Apesar de legalmente pertencer à multinacional Smurfit Kappa Cartón de Colombia, os camponeses denunciam que as terras foram monopolizadas às custas do deslocamento de indígenas e camponeses.

Os camponeses indígenas, afro e mestiços de Cajibío, Cauca, exigem há anos o cumprimento da “Reforma Rural Integral” prevista no farsante Acordo de Paz. Diante do escárnio total dos acordos por parte do velho Estado, os camponeses decidiram agir contundentemente para fazer valer seu direito à terra e começaram a tomada da fazenda.

A multinacional Smurfit Kappa Cartón de Colombia é a empresa que é dona de maior quantidade de hectares de terra no país, monopolizando cerca de 70 mil hectares. Foi protegendo esse monopólio imperialista que a polícia disparou os tiros de fuzil que assassinaram Huver.

Vale ressaltar que, nessa luta pela terra, unem-se os setores mestiços, indígenas e camponeses afrodescendentes, comunidades que historicamente o Estado colombiano tem tentado dividir, especialmente em Cauca. Nessa área, tem sido frequente a tática de prometer terras aos camponeses afrodescendentes onde os indígenas estão reivindicando, e vice-versa. Tudo isso para dividir os camponeses e conter a luta pela terra. “Por isso, vale destacar que o povo encontrou mais uma vez o caminho da união na luta, entendendo que as comunidades camponesas pobres, sejam afro, indígenas ou mestiças, devem se unir contra o Estado, os latifundiários e as multinacionais” afirma o portal revolucionário de notícias colombiano, o El Comunero.

Jovem camponês Huver Samir Camayo. Foto: Reprodução/ El Comunero Prensa Popular

Jovem camponês Huver Samir Camayo assassinado pela polícia. Foto: Reprodução/ El Comunero Prensa Popular

Prefeitura de Cajibío incendiada por camponeses. Foto: Reprodução/ El Comunero Prensa Popular

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin