RJ: Incra tenta coagir camponeses a desocuparem acampamento

No dia 21 de agosto, diante de 21 anos de ocupação e resistência dos camponeses que hoje conformam o acampamento Cícero Guedes em Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, Cassius Rodrigo de Almeida e Silva, superintendente Instituto Nacional da Reforma Agrária (Incra) tentou através da coação e tentativa de divisão das famílias incitar a saída dos camponeses.

Conforme denúncias feitas por camponeses, o representante do velho Estado chegou no local usando colete à prova de balas, escoltado por carros da Polícia Federal (PF) e abordou cerca de cinco trabalhadores oferecendo cesta básica para saírem do acampamento, alegando também que seriam recompensados com lotes. Os camponeses que insistiam em resistir na luta pela terra foram ameaçados com despejo violento. O Ministério Público Federal (MPF),  investiga denúncias de que o superintendente coagiu famílias a assinarem contratos em programa para crédito habitacional. 

As terras ocupadas da antiga Usina foram palco de crimes do Regime Militar Fascista de 64

Atualmente vivem no acampamento Cícero Guedes 300 famílias que há 21 anos permanecem na luta pelas terras da antiga Usina Cambahyba, no Norte Fluminense, área com cerca de 3,5 mil hectares, que em 1993 foi à falência e então desativada. Além de inúmeras denúncias das práticas de trabalho infantil e trabalho análago a escravidão, o local foi utilizado para incinerar corpos de presos políticos que lutavam contra o golpe militar-fascista de 1964. Hoje estas deveriam ser terras designadas ao Incra para realização da “Reforma agrária”.

Ocupação e luta

A primeira ocupação das terras aconteceu no ano 2000. O acampamento a princípio foi batizado de Luís Maranhão.

Posteriormente foi rebatizado com o nome de um dos principais apoiadores e liderança dos camponeses, Cícero Guedes, assassinado a mando do latifúndio no ano de 2013 com tiros na cabeça e nas costas na estrada rural de Campos.

Em um vídeo de  divulgação do acampamento, Cícero afirmava: “Nós não vamos conseguir uma terra, sem lutar, né companheirada temos que lutar!”.

Ocupação, que existe há 21 anos, ganhou mais de 300 famílias em junho deste ano. Foto: Tarcísio Nascimento

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin