Maoistas peruanos e brasileiros convocam 'Dia Internacional de ações' para honrar o Presidente Gonzalo

Pintura revolucionária peruana. Foto: Banco de Dados AND

O Partido Comunista do Peru e o Partido Comunista do Brasil (Fração Vermelha), em declaração conjunta após o vil assassinato do Presidente Gonzalo (Chefatura do PCP e da Revolução Peruana, chefe da Revolução Proletária Mundial), repudiam a reação peruana, a Linha Oportunista de Direita (LOD) e toda a reação, e convocam todos os partidos comunistas, revolucionários e povos do mundo a uma Campanha Internacional em Defesa da Chefatura do Presidente Gonzalo e seu Todo-poderoso Pensamento.

A campanha, impulsionada por esses dois partidos, terá início internacionalmente com um Dia Internacional de ação em 24 de setembro, quando completam-se 29 anos do famoso discurso do Presidente Gonzalo, dias após sua prisão. Na ocasião, o Presidente Gonzalo convocou o PCP a prosseguir a Guerra Popular, unir-se em torno das decisões do III Pleno do Comitê Central que ocorrera antes e do I Congresso do PCP, repudiando a capitulação, a rendição e os gritos que clamavam pelo fim da Guerra Popular através da Linha Oportunista de Direita (agora estruturada como Movadef) encabeçada pela ex-dirigente Míriam.

"Chamamos aos partidos do Movimento Comunista Internacional, aos revolucionários e povos do mundo para levar conjuntamente a Campanha Internacional pela Defesa da Chefatura do Presidente Gonzalo e seu Todo-poderoso Pensamento, que começa com o dia internacional de ação este 24 de setembro, dia celebratório do 29º aniversário do discurso do Presidente Gonzalo, que brilha vitorioso e desafiante ante o mundo como arma de combate de comunistas, combatentes e massas. Unamo-nos sob a vermelhíssima, ainda mais vermelha de sangue derramado heroica, historicamente à torrente pelo Presidente Gonzalo, bandeira do maoismo içada ao mais alto cume. Chamamos ao Dia Internacional de Ação como início da campanha que deve expressar e honrar a vida e obra do Presidente Gonzalo, o grande triunfo conquistado com sua heroica morte", convocaram.
"Em 11 deste mês, o Presidente Gonzalo entregou sua vida pelo imarcescível marxismo-leninismo-maoismo, o Partido, a guerra popular e a Revolução Proletária Mundial na mais alta luminosa trincheira de combate da Base Naval de Callao. O governo reacionário encabeçado pelo “rondero” oportunista Pedro Castillo Terrones consumou o plano contrarrevolucionário de aniquilamento do Presidente Gonzalo buscando destruir a Chefatura e seu todo-poderoso pensamento gonzalo. Com a entrega da própria vida o Presidente Gonzalo aplastou o plano da CIA-ianque-reação peruana-LOD", asseveram os Partidos. "O povo e só o povo com guerra popular aplicará a devida sanção pelo imenso e ignominioso crime a todos estes miseráveis imperialistas reacionários e ratas traidoras da LOD", concluem.

Os maoistas peruanos e brasileiros destacam ainda que "com sua heroica entrega o Presidente Gonzalo aplastou a linha oportunista de direita revisionista e capitulacionista, encabeçada pela rata Míriam", e pontuam que essa mesma LOD "que chamou a terminar a guerra popular, renegando do Presidente Gonzalo, do maoísmo, do pensamento gonzalo, da Base de Unidade Partidária, aprovada no I Congresso do PCP, tudo em função de melhores condições de prisão clamando de joelhos pela anistia para servir aos planos do imperialismo e a reação de destruir a Chefatura do Partido e o pensamento gonzalo, servindo ao isolamento absoluta e perpétuo do presidente durante cerca de 29 anos".

Com otimismo ao topo, os comunistas ressaltam que "o 11 de setembro será recordado por todos os comunistas da Terra por este grande significado histórico de alcance universal, que é o encerrar de um período e o selo de abertura de um novo período de revoluções".

A declaração, traduzida na íntegra, pode ser lida no blog serviraopovo.wordpress.com.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin