Camponeses organizam assembleia e militares fracassam na tentativa de dividir as massas

Na manhã de hoje, 21 de outubro, as sujas táticas de dividir a massa de camponeses em luta aplicadas pelas forças de repressão foram frustradas diante da organização e combatividade dos moradores da Área Tiago Campin dos Santos. Uma grande Assembleia foi organizada por dezenas de famílias expulsas da área que não aceitaram a situação de calamidade imposta pelo velho Estado. 

Em uma exitosa Assembleia, os camponeses definiram os caminhos do alojamento e seguiram a mobilização. Foto: Banco de Dados AND

Os policiais mentiram e prometeram aos acampados que haveria condições de alojarem todos, se aceitassem o despejo. Após a violência policial, as massas também desmascaram todas as falsas promessas das tropas policiais. Essas diversas denúncias e exigências foram feitas logo após parte das famílias da Área Tiago dos Santos. Esses camponeses foram levados para a Escola Santa Julia, localizada em uma rodovia na Vila da Penha, um alojamento improvisado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e da Família (Semasf) de Rondônia.

A Assembleia

Como fruto da Assembleia, os camponeses sistematizaram e relataram ataques como tapas, agressões verbais, ameaças às crianças e desrespeito às famílias. Logo na chegada os camponeses sofreram tentativas de intimidação de policiais, postados com fuzis e sprays de pimenta na entrada do local. Diversos camponeses, entre idosos e crianças, estão acometidos de malária e pneumonia e seguem sem assistência médica e mantimentos adequados.

Os camponeses também afirmam que as tropas policiais não permitiram que os moradores retirassem seus pertences como: roupas, comida, galinha, porcos, materiais de construção e outros. Os policiais prometeram a presença dos ‘direitos humanos’, alimento e caminhões, e segundo denúncias não cumpriram uma promessa sequer. 

Em uma exitosa Assembleia, os camponeses definiram os caminhos do alojamento e seguiram a mobilização. Foto: Banco de Dados AND

Em uma exitosa Assembleia, os camponeses definiram os caminhos do alojamento e seguiram a mobilização. Foto: Banco de Dados AND

Em uma exitosa Assembleia, os camponeses definiram os caminhos do alojamento e seguiram a mobilização. Foto: Banco de Dados AND

Os trabalhadores denunciaram também que o local definido não comporta as famílias que foram expulsas de suas moradias e que a Secretaria de Educação de Porto Velho os proibiu de usar a cozinha, restando apenas lugares insalubres a céu aberto para as famílias prepararem suas refeições. No local não há alimentos e produtos de limpeza. Não havia durante a noite local para as centenas de pessoas dormirem.

Frente a isso as famílias, já organizadas, fizeram exigências como consta em uma lista de itens necessários para a alimentação dos camponeses e limpeza do local. A lista foi entregue à Semasf, porém esta afirma que não tem condições de prover. Os trabalhadores do órgão buscaram intervir pelos camponeses acionando entidades como Ministério Público e Defensoria pública, mas não obtiveram respostas.

Mesmo diante da tentativa policial de suprimir o ânimo das massas, os camponeses seguiam altivos nas inúmeras denúncias contra o velho Estado.

No vídeo enviado à Redação de AND é possível ouvir as principais reivindicações e o que exigem os camponeses.

Lista de mantimentos exigidos pelas famílias para manter-se dignamente no alojamento. Foto: Banco de dados AND

Lista de mantimentos exigidos pelas famílias para manter-se dignamente no alojamento. Foto: Banco de dados AND

Leia também: RESISTÊNCIA! Famílias resistem à tentativa de novo massacre no Tiago dos Santos, RO

Policiais fotografam os camponeses da Área

Os camponeses posteriormente relatam a chegada da Defensoria Pública do Estado de Rondônia (DPE) para realizarem atendimento às famílias. No entanto, muitos estão temerosos de serem fotografados, pois a Polícia Militar e o Comandante da Operação estão no local, e estão fotografando as pessoas.

Os trabalhadores da prefeitura afirmam que tentam fazer o que podem, porém não há por parte do velho Estado nenhuma assistência, apesar de levarem itens que estão arrecadando, afirmam “Não damos conta”.

A situação de parte das famílias se agravará com ausência de alojamento

As famílias camponesas expulsas da Área Tiago Campin dos Santos podem enfrentar maiores penúrias nos próximos dias pois a escola que abriga o alojamento terá as aulas presenciais iniciadas na segunda, dia 25/10.  

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin