MA: Trabalhadores são esmagados em ação ilegal comandada por latifundiário

No dia 12 de novembro, uma camponesa e seu filho foram assassinados enquanto trabalhavam. Os dois foram esmagados por árvores, que foram cortadas com maquinário a mando do latifundiário, pretenso dono das terras. O episódio macabro ocorreu no Quilombo Bom lugar, que fica localizado no município de Penalva, Maranhão (MA).

Maria José Rodrigues, de 78 anos, era deficiente auditiva e trabalhava como quebradeira de coco, assim como seu filho, José do Carmo Corrêa Júnior, de 38 anos, que tinha deficiência cognitiva. Ambos sobreviviam do extrativismo de coco babaçu e realizavam a colheita quando foram mortos. 

Segundo denúncias dos camponeses, após ordem dada pelo latifundiário “Cazuza” para iniciar a devastação nas terras quilombolas, os maquinários pesados passaram a derrubar as árvores, sem se importar com o que estivesse no entorno. As árvores então caíram sobre os trabalhadores. O Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB) afirmou ainda que há suspeita de que os corpos tenham sido esmagados também pelo trator, devido às marcas encontradas no local.

Mãe e filho camponeses, Maria José Rodrigues e José do Carmo Corrêa Júnior, assassinados enquanto trabalhavam. Foto: Fóruns e Redes de Cidadania do Maranhão

Assassinatos e impunidade: democratas denunciam governo do Maranhão

Segundo o movimento Fóruns e Redes de Cidadania do Maranhão, “a baixada maranhense tem sido palco de intensos conflitos agrários, motivado principalmente pelo cercamento dos campos públicos, a criação de búfalos e o constante desmatamento das áreas nativas para pastagem, resultando no assassinato de vários camponeses”. A organização denuncia que o “governo do estado, aliado incondicional do latifúndio, prefere silenciar, tornando-se conivente com esse derramamento de sangue dos povos da terra que há séculos moram nessas comunidades”.

Outras organizações, democratas e apoiadores também denunciam a conivência do velho Estado com os crimes praticados pelo latifúndio no estado do Maranhão. A Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), denunciando a grilagem e assassinatos realizados pelo latifúndio, afirmou que a negligência do governo do estado do Maranhão transforma a impunidade “em verdadeiras licenças para matar”.

“Com apoio do governo esses bandidos grileiros não têm sequer receio de serem descobertos, pois sabem que impunidade a eles é compromisso com governo estadual”, denunciou um apoiador por meio de uma rede social.

Leia também: MA: Camponês é assassinado por pistoleiros em Arari

Uma apoiadora através da rede social, indignada, também se manifestou: “Nos últimos meses o Maranhão tem se tornado um palco de derramamento de sangue. E o governador Flávio Dino e instituições competentes nada têm feito para solucionar os casos e punir os culpados”. Ela concluiu dizendo: “Justiça aos camponeses e camponesas assassinados!”.

Leia também : MA: Camponês é assassinado por pistoleiros no povoado Santo Antônio

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin