PR: Comitê Sanitário de Defesa Popular de Pinhais realiza vitoriosa assembleia

Discussões da Assembleia trouxeram relatos de falta de atendimento de saúde e descaso com a educação pública. Foto: Banco de Dados AND

No dia 04 de dezembro, moradores organizados pelo Comitê Sanitário de Defesa Popular de Pinhais (CSDP), no Paraná, realizaram sua 1ª Assembleia, aberta a todos os moradores da região e apoiadores da luta popular. O evento ocorreu em um Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) de um bairro pobre da região e contou com participação da comunidade escolar, como a diretora, educadoras e membros da Associação de Pais, Mestres e Funcionários (APMF).

O amplo espaço realizado para a atividade permitiu a aplicação das medidas sanitárias necessárias, além de contar também com uma creche popular, organizada para o cuidado das crianças durante o evento, assegurou a participação das mães.

Na primeira parte da assembleia, foi apresentado um balanço sobre o conjunto de atividades realizadas desde a criação do Comitê Sanitário, em maio de 2020, como a produção e distribuição de máscaras e sabão, realização de mutirões sanitários, atendimento pediátrico, preparo de refeições coletivas através do projeto Panela Comunitária, a criação de uma escolinha do Comitê para atender as crianças em fase de alfabetização durante o fechamento das escolas, atendimento pediátrico, além de celebrações de dia das crianças e atividades culturais diversas.

Frente à exposição de um vídeo com fotos e demonstrações dos feitos de um ano e meio de muito trabalho, moradores que participam ativamente desde sua fundação se emocionaram e outros puderam tomar conhecimento do conjunto de atividades e da linha política da organização popular.

“Fiquei emocionada vendo as fotos desde o início, lembrei da época que tudo começou, que não havia nem espaço para cortarmos as máscaras, os tecidos foram arrecadados por costureiras do bairro, o óleo coletamos para fazer e distribuir sabão. Vemos que estamos fazendo história. Basta ir ao Comitê para conversar que dali já sai algo de bom”, avaliou uma moradora.

Vitoriosa assembleia foi aberta a todos os moradores da região e apoiadores da luta popular. Foto: Banco de Dados AND

Na segunda parte do evento, os mais de 20 participantes puderam fazer uso da palavra e debateram sobre o trabalho do CSDP, a situação política e a vida do povo, os problemas do bairro e apresentaram propostas de ação. O debate sobre a dura situação de vida, com o desemprego crescente, a alta nos preços dos alimentos e a falta de funcionamento dos serviços públicos expressou toda a revolta do povo por não ter assegurado seus direitos mais básicos. Os problemas relacionados à saúde e educação públicas foram os temas mais trazidos. Eles escancararam a política de sucateamento de todos os serviços públicos, não somente na região, mas por todo o país como uma política do velho Estado para incrementar a exploração sobre o povo em troca do enriquecimento de banqueiros, grandes burgueses e latifundiários.

Não houve um morador que deixou de denunciar o péssimo atendimento no posto de saúde da região, a falta de médicos especialistas, equipamentos e exames, além do extenuante tempo de espera na fila do posto para conseguir uma previsão de consulta. Dentre os diversos relatos, uma moradora contou que a ultrassonografia de uma amiga foi marcada dois meses depois da criança ter nascido.

Todos os participantes puderam fazer uso da palavra e debateram sobre o trabalho do CSDP, a situação política e a vida do povo, os problemas do bairro e apresentaram propostas de ação. Foto: Banco de Dados AND

Os moradores intervieram ativamente nos debates e a assembleia configurou-se como um verdadeiro espaço democrático do povo. Todos fizeram denúncias e tiraram propostas de ações, que vão desde a necessidade de  exigir ou construir lombadas a um conjunto de mobilizações para exigir atendimento no posto de saúde da região, além de melhorias para os projetos que o CSDP já desenvolve.

“Através do Comitê Sanitário fazemos muita coisa que deveria ser responsabilidade do governo garantir, por isso precisamos ir além e incomodar cada vez mais, fazer abaixo assinado, levar cartazes e manifestar na frente do posto e da Secretaria de saúde. Eles só fazem coisa por eles, aumentam seus salários e regalias, mas e o povo? Olha quanto imposto a gente paga para eles fazerem isso com a gente!”, interviu uma moradora.

Na última sessão da assembleia, todas as propostas foram lidas e votadas. Todos saudaram efusivamente o Comitê Sanitário, reafirmando que o único caminho é o da organização popular em torno das necessidades mais imediatas do povo através da luta independente, classista e combativa.

Para que ninguém, especialmente as mães, deixasse de participar, o CSDP organizou uma creche popular durante a Assembleia para o cuidado das crianças. Foto: Banco de Dados AND

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin