Operários da CSN em greve!

Operários da CSN se reúnem durante greve de abril, em Congonhas, Minas Gerais. Foto: Reprodução

Operários da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) estão há quase um mês em greve nos terminais de Congonhas, em Minas Gerais, e de Volta Redonda e Itaguaí, no Rio de Janeiro. Os trabalhadores exigem reajuste salarial e a participação nos lucros e resultados (PLR) da empresa.

São cerca de 20 mil trabalhadores e trabalhadoras paralisados desde o dia 31 de março, somente na mineração em Congonhas. Os trabalhadores do terminal de carvão do Porto de Itaguaí, e da siderúrgica, em Volta Redonda entraram em greve no dia 8 de abril.

A decisão pela greve se deu após uma assembleia realizada no dia 07/04, em que os trabalhadores levantaram suas reivindicações. A CSN tentou desmobilizar a votação e chegou a proibir que os trabalhadores se reunissem no portão da empresa. No entanto, a votação aconteceu e os trabalhadores decidiram entregar uma pauta de reivindicações para a direção da empresa.

Os operários reunidos afirmaram que se não fossem cumpridas tais exigências, entrariam em greve, e assim foi. Como forma de repressão à greve, a CSN demitiu trabalhadores que compõem a Comissão de Base, porém estes não abaixaram a cabeça e convocaram os colegas a seguirem com a paralisação.

Demandas da greve

Os operários denunciam que estão há mais de dois anos sem reajuste salarial. Eles também exigem a volta do plano de saúde, aumento do vale-alimentação para R$ 800, bônus extra no Natal, equiparação salarial, implementação de plano de cargos e salários, estabilidade no emprego e pagamento dos dias parados.

Enquanto os operários sofrem com a falta de salários, os acionistas da CSN obtêm lucros recordes. De acordo com os trabalhadores, somente em 2021, a empresa obteve um lucro de 217% chegando a R$ 13,6 bilhões.

No dia 19 de abril a empresa ofereceu um reajuste de apenas 8,01% aos empregados com salário de até R$ 3.000,00 e aos que recebem acima de R$ 3.000,00, somente 5%. Esse reajuste aconteceria no âmbito do Acordo Coletivo, com data base em 1º de maio.

Enfrentando governo, pelego e patrões!

A proposta foi repudiada pelos trabalhadores, porém o pelego Sindicato do Metalúrgicos de Volta Redonda (Sindmetalsf) tentou desmobilizar a luta dos trabalhadores e aceitar a proposta da CSN. O sindicato impôs que fosse feita uma votação secreta das propostas, para que a mesma fosse aprovada. Contudo, a maquinação não foi capaz de barrar a luta dos operários que, ao votarem, gritaram que não iriam aceitar a proposta. A decisão pela manutenção da greve venceu com 99,3% dos votos.

Os trabalhadores afirmaram que recusaram a proposta de reajuste da CSN pois o reajuste oferecido não cobre sequer o valor da inflação dos últimos 12 meses (que em 12 meses, chegou a 12,03%, a maior taxa desde novembro de 2003) e está muito longe dos 30% de aumentos salários exigidos pelos operários que igualaria as perdas salariais dos últimos três anos.



NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin