MA: Camponeses ocupam sede do Incra em São Luís

Centenas de camponeses mobilizados pelos Fóruns e Redes de Cidadania ocuparam a sede do Incra na capital São Luís, no dia 22 de fevereiro. Mais de 300 pessoas se deslocaram de várias cidades do Maranhão para exigir da superintendência do Incra respostas aos processos de concessão de terras paralisados, que tem aberto espaço para ataques por parte de latifundiários e grileiros.

OCUPAÇÃO DO INCRA

Reproduzimos a seguir a nota publicada na internet pelo Juiz Popular e dirigente do movimento, Jorge Moreno.

"Hoje, 22/02/2018, militantes sociais dos Fóruns e Redes de Cidadania do Maranhão, de diversas comunidades, ocuparam a superintendência Regional do Incra, localizada em São Luís/Ma.
Diversos processos estão parados na instituição, prejudicando trabalhadores e trabalhadoras rurais, dificultando o acesso à terra, contribuindo para o avanço do agronegócio, a grilagem e o aumento do conflito/violência agrária.
Membros do judiciário, ministério público e polícia, com posições já conhecidas em relação à organização dos/das trabalhadores/as rurais, aproveitam a oportunidade de ausência e omissão do Incra para colaborar com esse quadro, instaurando procedimentos, perseguido os trabalhadores/as e expedindo liminares de reintegração de posse, de maneira abusiva, ilegal e arbitrária.
O objetivo da ocupação é exigir uma decisão e posição do Incra, saber de que lado está a instituição e não deixar de denunciar qualquer tipo de omissão e desleixo, porque o serviço público, pago pelos recursos arrecadados do povo, não pode deixar de cumprir a lei, muito menos ser desleixado com as suas funções.
Direito não se pede, direito se exige!
Justiça e liberdade, no campo e na cidade!"

Uma vitoriosa mobilização

Em um breve relato sobre a manifestação, o militante Vitamar descreveu a vibrante mobilização e a disposição de luta das massas camponesas na região.

"Com bandeiras, gritos de guerra, tambores e cantos animados, trabalhadores(as) rurais, pescadores(as) indígenas, quilombolas e funcionários públicos militantes sociais do Movimento Fóruns e Redes de cidadania do Maranhão de 14 municípios do estado, ocuparam pacificamente a Superintendência do INCRA do Maranhão com o objetivo de obter respostas concretas e efetivas para a resolução de problemas relacionados aos seus territórios, onde estão sendo ameaçados de morte, despejos, prisões e sofrendo perseguições de vários tipos.

A exemplo de Urbano Santos - MA, onde uma comunidade inteira "SANTA MARIA" onde moram mais de 150 famílias, com pessoas de mais de 80 anos nascidas e criadas nesta comunidade.

Esta comunidade inteira está sendo ameaçada pelos gaúchos plantadores de soja e eucalipto na região com apoio do promotor e o juiz daquela comarca, segundo as lideranças da comunidade. O conflito já é antigo e a comunidade vem se organizando de diversas formas para combater o latifúndio, a grilagem de terras, a negligencia de autoridades do MP e judiciário mas, também a fome, a pobreza e as desigualdades sociais no município e ainda tem com lidar com a ausência do estado.

O superintendente do Incra/MA recebeu uma comissão e depois de ouvi-la se comprometeu de dar respostas de requerimentos anteriores, e nos receber em audiência publica às 15 horas, como de fato aconteceu. Ao final, os servidores(as) do INCRA assinaram documento com vários compromissos a serem cumpridos com os manifestantes no sentido de resolver a situação dos trabalhadores(as) nos municípios em questão"

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro